Elefante Conferiu

Se eu ficar, Gayle Forman – Resenha

01A última coisa de que Mia se lembra é a música.
Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais mas não sente nada.
Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera… e o seu amor luta para ficar perto dela.
Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.
Se ela ficar…

ISBN-13: 9788581635415
ISBN-10: 8581635415
Ano: 2013 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Novo Conceito


Resenha “Se eu ficar”:

Assisti há algum tempo a adaptação para os cinemas de Se eu ficar. O filme é protagonizado por Chloë Grace Moretz e estreou em 2014. Lembro de ter ficado comovida com a história e tive curiosidade em ler o livro que deu origem ao filme.

Finalmente terminei a leitura e posso dizer que pude me emocionar com a história de Mia pela segunda vez. A história tem como ponto de partida um acidente de carro que resultou na morte de seus pais e a deixou em estado gravíssimo no hospital, assim como seu irmão mais novo Teddy.

Mia se vê “fora” do corpo e passa a ver como espectadora o esforço dos médicos em tentar salvá-la. Enquanto ela acompanha as notícias em relação ao seu estado e observa seus parentes e amigos que vão visitá-la, Mia fica dividida entre desistir e ir ao encontro de sua família ou ficar, encarar a dor de acordar e se deparar com a dor da perda.

“Você acha que cabe aos médicos, aos medicamentos e as máquinas, mas se você fica ou se você vai, a decisão é sua.”

“Percebi agora que morrer é fácil. Viver é difícil.”

A narrativa alterna entre as horas em que Mia passou no hospital e lembranças de sua vida: como era sua relação com seus pais, de seus sonhos e planos em relação a música que tanto amava e seu namoro com Adam (desde os momentos mais felizes até aqueles mais complicados). Acredito que Adam foi fundamental na decisão final de Mia, não só pelo sentimento entre os dois mas também pelas palavras e atitudes dele durante a história.

“E, de repente, tudo o que preciso é segurar a mão dele mais do que já precisei de qualquer outra coisa na vida. Não apenas sentir que ele segura a minha mão, mas segurar a dele também.”

Se eu ficar nos faz refletir sobre a importância da nossa família e dos nossos amigos, do amor verdadeiro, de ter algo o qual nos entregamos completamente (no caso de Mia a música), de não termos vergonha ou insegurança de ser como somos e o valor que damos a nossa vida e o quão longe estaríamos dispostos a lutar por ela.

“O amor nunca morre, nunca se vai embora, nunca esmorece, desde que não o deixemos partir.”

Eu gostei bastante do livro mas, acredito que uma narrativa linear poderia ser mais emocionante. Pois, em diversos momentos, eu estava tensa temendo pelo estado de saúde de Mia e essa tensão era cortada para uma lembrança. Da mesma maneira, quando eu estava tocada com alguma lembrança, a história voltava para o hospital. Mas, talvez esta seja exatamente a proposta da autora: nunca estamos 100% no presente. Estamos sempre lembrando de algo que aconteceu ou avaliando como será nosso futuro e isto acaba por ter peso em nossas decisões.

Ficou curioso? Leia um trecho disponibilizado pela Editora Novo Conceito clicando aqui.

Compre o livro em:

Amazon


Elefante pergunta: Você prefere o livro ou o filme de Se eu ficar?

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥