Eu já tive a oportunidade de ler Will & Will: Um nome, um destino e Me Abrace Mais Forte de David Levithan e, depois de algum tempo, consegui chegar a mais uma obra do autor na minha fila interminável de livros para ler. Hoje eu trago para os leitores do Elefante Voador uma resenha de Garoto Encontra Garoto.

9788501047779Nesta mais que uma comédia romântica, Paul estuda em uma escola nada convencional. Líderes de torcida andam de moto, a rainha do baile Infinite Darlene é uma quarterback que costumava se chamar Daryl, e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola… E, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah!

Editora: Galera Record
Ano:
2014

Gênero: Ficção estrangeira
Páginas: 240
ISBN: 9788501047779
Preço: R$ 29,00
Peso: 0,290

Leia um trecho disponibilizado pela Editora Galera Record clicando aqui.


Resenha

AH! QUE LINDO! Este foi meu sentimento após a leitura de Garoto Encontra Garoto. Trata-se de uma história tão cativante e ao mesmo tempo tão improvável que chega a ser difícil descrever.

Mais uma vez, David Levithan consegue ter uma narrativa super divertida sem deixar abordar de maneira sólida e direta questões como sentimentos, aceitação, preconceito, etc.

Garoto Encontra Garoto conta a história de Paul, que está cursando o 1º ano do colégio e, que sabia desde muito pequeno que gostava de meninos. Ele teve alguns relacionamentos que não acabaram bem mas estavam longe de ser o que chamamos de amor verdadeiro.

Em suma, a existência no segundo segmento do fundamental foi divertida. Eu não tinha uma vida fora do comum. A série costumeira de paixões, confusões e intensidades.
Mas então conheci Noah e as coisas ficaram complicadas (…) De repente, me sinto mais complicado.
Não complicado ruim.
Só complicado.

Quando menos esperava, conheceu Noah em uma livraria e se apaixonou quase que instantaneamente. Na sua primeira conversa, eles descobrem que estudam no mesmo colégio e isto se torna o início de um namoro a base de troca de bilhetes nos intervalos das aulas, suspiros, romance… Lindo, não? Não! Porque Paul coloca tudo a perder quando se coloca em um mal entendido com seu ex-namorado, Kyle.

Eu estou feliz que o encontrei. Não tenho medo de dizer isso. Estou tão acostumado com insinuações e mensagens contraditórias, com dizer coisas que podem significar mais ou menos o que querem dizer. Joguinhos e competições, papéis e rituais, falar em 12 línguas ao mesmo tempo para que as verdadeiras palavras não fiquem tão obvias. Não estou acostumado com a verdade direta e sincera.

Paul vai precisar contar com sua criatividade, persistência e ajuda dos amigos para reconquistar Noah, enquanto precisa lidar com outros assuntos urgentes como a organização de um baile no colégio, uma melhor amiga se envolvendo com um panaca e ainda arrumar um tempinho para ajudar Tony, um amigo que também é gay mas que não tem a aceitação da família sobre sua sexualidade.

Na noite anterior, destranco meu armário de papeis de origami, com mais de mil folhas de cores intensas e quadradas. Transformo todas em flores. Cada uma delas. Não durmo. Não faço pausas. Porque sei que alem de estar dando flores para ele, estou dando o tempo que demoro para fazê-las. A cada dobra, estou ando a ele segundos da minha vida. A cada flor, parte de um minuto. (…) Cada minuto, cada dobra, é uma mensagem minha.

O colégio onde eles estudam é divertidíssimo. Gays, héteros, todos eles convivem muito vem. Um exemplo disso, é que o quarterback do time da escola é nada mais, nada menos, que Infinity Darlene! (uma transgênero estrela da escola, que ao mesmo tempo que joga futebol americano é a rainha do baile –, sério, é hilário).

Correndo o risco de soar arrogante – diz ela, inclinando-se como se tivesse contando um segredo –, devo declarar que sou incrível desde o momento do meu nascimento. O medico deu uma olhada e, em vez de dizer “é uma menina” ou é “um menino”, proclamou: minha nossa, é uma estrela!”.

Achei o final simplesmente lindo ♥ Acho que fecha a história de maneira imprevisível e encantadora 🙂

IMG_20160520_120604334

David Levithan é bem conhecido por abordar temas específicos para o público gay. Eu, já acredito que o amor é universal. E, tudo que os personagens passam em suas histórias, qualquer casal apaixonado pode passar também (seja gay, hétero, bi): aquele friozinho na barriga que dá ao conhece alguém especial, a magia de se apaixonar, a dor de um término… é impossível não de identificar em algum momento com a história Garoto encontra Garoto ♥

Ps. Vale dizer que a escolha do titulo de cada capítulo é formidável.

Ps2. O projeto gráfico a diagramação do livro são ótimos. Mas sou do time que prefere a capa original.

Adorei!

Onde comprar?


Elefante pergunta: Qual sua história preferida de David Levithan?


seal_lomadee

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Next Post

Copag lança linha de baralhos de Baralho Alice Através do Espelho

Mon May 30 , 2016
É praticamente impossível falar de Alice sem lembrar do marcante exército de cartas da Rainha de Copas. Por ente motivo, seria incrível ter um baralho inspirado no […]
Bitnami