Hoje, dia 13 de julho, é comemorado o Dia Mundial do Rock \m/ yeeee. Para celebrar a data, o pessoal da Edições Ideal nos enviou uma lista com 5 livros imperdíveis que todos deveriam ler para conhecer e entender melhor algumas vertentes e mitos do gênero.

Para quem não conhece, a Edições Ideal é a primeira editora brasileira integralmente dedicada à música e por conta disso, podemos afirmar que suas publicações tem muito ROCK em seu DNA.

Cinco livros que você precisa ler neste Dia do Rock

travisTravis Barker: vivendo a mil, enganando a morte e batera, batera, batera
Autor: Travis Barker

Travis Barker, baterista da banda Blink-182, expõe sua alma nessa autobiografia, que relata os altos e baixos da arte e da vida do renomado baterista, incluindo o terrível acidente de avião que quase o matou e seu traumático processo de recuperação – uma história fascinante e nunca antes contada de reinvenção pessoal, fundada em salvação musical e paternidade.

Depois de alcançar a fama como baterista aclamado na banda punk Blink-182, que vendeu milhões de discos, tudo mudou para Travis Barker. Mas o lado negro do estrelato no rock teve seu preço: seu casamento, que foi tema de um reality show da MTV, se desfez. As turnês constantes escondiam sua dependência séria em drogas. Um acerto de contas só aconteceu quando ele foi forçado a encarar a mortalidade. Sua vida quase chegou ao fim num horrível acidente de avião e, depois, seu grande amigo, colaborador e também sobrevivente desse acidente, o DJ AM, morreu de overdose.

Neste livro de memórias brusco e impetuoso, Barker reflete sobre a vida como astro do rock, paternidade, morte, perda e redenção ao compartilhar histórias moldadas por décadas de uma visão de mundo alcançada com muito suor. Suas memórias pulsantes são tão enérgicas quanto suas aclamadas batidas. Elas encerram os primeiros capítulos de uma vida bem vivida e inspiram os leitores a seguir os ritmos de seus próprios corações e a encontrar significado em suas vidas.

Título: Travis Barker: vivendo a mil, enganando a morte e batera, batera, batera
Preço de capa: R$ 49,90
ISBN: 978-85-62885-63-1
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 376
Tamanho: 15,8 cm x 23 cm
Acabamento: Brochura
Autor: Travis Barker (com Gavin Edwards)
Tradutor: Paulo Alves
Edição:


Screen-Shot-2015-05-10-at-10A história do The Cure
Autor: Jeff Apter

A história do The Cure começa como a de tantas outras bandas de rock ao redor do planeta. Um grupo de amigos entediados, numa pacata cidade, com uma ideia na cabeça: liberar o tédio e a frustração adolescentes através de música melancólica com guitarras. Um enredo bastante comum. Mas o aspecto prosaico dessa história acaba por aí. Tudo que veio depois foi grandioso, turbulento e causou um impacto profundo (e tristonho) na música contemporânea.

Da suburbana Crawley (em Sussex, Inglaterra) para o mundo: os (originalmente) três rapazes imaginários estabeleceram uma carreira duradoura e influente, que mesclou – talvez como nenhuma outra – essa capacidade improvável de alternar entre músicas longas, densas e soturnas com hits radiofônicos de primeira grandeza. Afinal, a mesma banda que criou “The Same Deep Water As You” também compôs “Friday I’m In Love”. Do fundo do poço ao topo das paradas. Quantas bandas conseguiram equilibrar esses extremos nas suas carreiras?

A biografia escrita por Jeff Apter, ex-editor da Rolling Stone Austrália, vasculha os principais acontecimentos da trajetória desses sobreviventes do pós-punk. Disco por disco, polêmica por polêmica, um relato abrangente e detalhado, que revela curiosidades das gravações, das turnês e também das vidas pessoais dos integrantes. Da inconsistência do primeiro álbum (Robert Smith apitou pouco nesse debut, e decidiu tomar as rédeas depois de se frustrar com o resultado) à trilogia maldita (formada pelos discos Seventeen Seconds, Faith e Pornography), passando pelo sucesso mundial em meados dos anos oitenta, pela bem-sucedida parceria com o diretor Tim Pope (que rendeu clipes que passaram à exaustão na MTV) e por todos os aspectos positivos e negativos que vêm de brinde com a superexposição.

Com Robert Smith conduzindo os rumos da banda de maneira firme, o Cure conquistou uma legião de fãs, vendeu milhões de discos e cravou seu nome na história do rock’n’roll. Pais do gótico? Tem um fundo de verdade, mas é um reducionismo desnecessário, afinal eles foram muito além disso. “The Lovecats”, “Close To Me” ou “Let’s Go To Bed” não me deixam mentir. E essa história não chegou ao fim: Smith e cia seguem cantando e encantando. Nunca é o bastante para o Cure.

Título: Nunca é o bastante: a história do The Cure
Preço de Capa: R$ 44,90
ISBN: 978-85-62885-38-9
Ano: 2015
Idioma: Português
Páginas: 336
Tamanho: 15,8 cm x 23 cm x 2,2 cm
Acabamento: Brochura
Autor: Jeff Apter
Tradutora: Ligia Fonseca
Edição: 1ª


capa-Hendrix-3D-baixaHendrix por Hendrix: entrevistas e encontros com Jimi Hendrix 
Autor: Steven Roby

Hendrix Por Hendrix inclui as mais importantes entrevistas do auge da carreira de Jimi Hendrix, entre 1966 e 1970, cuidadosamente selecionadas por um dos mais proeminentes de seus historiadores.

Neste livro, Hendrix relembra para os repórteres sua triste infância e suas terríveis noites no Chitlin’ Circuit, a cena dos músicos negros durante a era da segregação racial nos EUA. Ele brinca com o juiz e com o júri durante o seu depoimento, dizendo que já havia recebido LSD pelo correio e ainda rebate – com ironia – a existência de um linguajar das drogas (“São as mesmas palavras inglesas”). E a sua última entrevista, apenas alguns dias antes de sua morte, “mostra onde estava a mente de Jimi pouco antes do acidente. Ele não estava abatido ou triste quanto ao futuro e o tom de suas respostas era frequentemente brincalhão”, como observa o jornalista Keith Altham.

Além de outras entrevistas de importantes publicações, Hendrix Por Hendrix inclui novas transcrições de jornais europeus, da imprensa afro-americana e de jornais da contracultura. Também conta com transcrições inéditas do tribunal – incluindo uma do flagrante de posse de drogas que quase o levou à prisão.

Segundo o site Publishers Weekly, este livro é o mais próximo de uma autobiografia que jamais veremos. Mergulhe nessas páginas e entre em contato com o coração e a mente de um dos maiores artistas do século XX.

Título: Hendrix por Hendrix: entrevistas e encontros com Jimi Hendrix
Preço de capa: R$ 49,90
ISBN: 978-85-62885-61-7
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 304
Tamanho: 15,8 cm x 23 cm
Acabamento: Brochura
Autor: Steven Roby
Tradutor: Leonardo B. Scriptore
Edição: 1ª


capa-HQ-magneticos90-3D-baixaMAGNÉTICOS 90 – A geração do rock brasileiro lançada em fita cassete
Autores: Gabriel Thomaz e Daniel Juca

As memórias e as caixas de demo-tapes de Gabriel Thomaz (Autoramas) transformadas em HQ através do traço de Daniel Juca (Tarja Preta), resultando num registro histórico da cena independente dos anos 90.

Gabriel Thomaz é um herói do rock independente brasileiro. E também um grande e inquieto colecionador. Há mais de 20 anos que ele viaja pelo mundo com a missão não somente de produzir e tocar a sua música, mas também com a sede de conhecer e divulgar várias e várias bandas do mundo inteiro. Numa era pré-Internet, esse criativo menino de topete alto, enchia a mochila com gravações dos outros – as chamadas fitas-demo – para apresentar a produtores, músicos, jornalistas e amigos que foi conhecendo em suas andanças. E voltava para casa com outro pacotão de K7s! Faz isso até hoje aproveitando, claro, os novos formatos da tecnologia, sem perder o espírito peregrino e, sobretudo, o amor pelo rock.

Gabriel decidiu agora contar algumas de suas muitas histórias. Para isso, nada melhor que o universo dos quadrinhos, eterna fonte de inspiração. Magnéticos 90 é um divertido – e até didático – resgate da cena roqueira nacional dos anos 1990, sem deixar de lado a conjuntura política e social brasileira na retomada do processo democrático. Nas tirinhas desenhadas por Daniel Juca, em mais de 200 páginas, ele mostra experiências pessoais e traça um roteiro de aventuras e desventuras em série, de vários personagens e “roubadas”.

Paralelamente, lembra (ou apresenta às novas gerações) muitos aspectos da época: de bandas a lojas, espaços de shows, festivais, publicações e programas de TV e rádio. Das relações com gravadoras e com a mídia, do surgimento da MTV Brasil, e do início de vários grupos que se tornaram sucesso nacional, tais como Raimundos, Planet Hemp e Los Hermanos, por exemplo. E de outros tão importantes quanto esses: Júpiter Maçã, Acabou La Tequila ou Penélope.

Num país em que a memória lamentavelmente está cada vez mais curta, Magnéticos 90 cumpre muito bem o papel de não deixar perdida a história de toda uma geração musical. Pode servir perfeitamente para roteiro de um grande documentário – e não duvide que isso aconteça um dia! Como entoa o próprio Gabriel Thomaz nos palcos: RRRRRRROCK!

Título: Magnéticos 90: a geração do rock brasileiro lançada em fita cassete
Preço de capa: R$ 49,90
ISBN: 978-85-62885-60-0
Ano: 2016
Idioma: Português
Páginas: 224
Tamanho: 21 cm x 21 cm x 1,5 cm
Acabamento: Brochura
Autor: Gabriel Thomaz
Ilustrador: Daniel Juca
Edição: 1ª


dance_of_days_livroDance of Days: duas décadas de punk na capital dos EUA
Autores: Mark Andersen e Mark Jenkins

A história da criativa e politizada cena punk de Washington DC ganha vida através das palavras do ativista Mark Andersen e do escritor Mark Jenkins, nessa edição brasileira do clássico Dance of Days.

A capital dos EUA foi o lar do mais fértil e influente cenário underground dos anos 1980 e 1990. Este livro narra a trajetória de artistas pioneiros como Bad Brains, Henry Rollins, Minor Threat, Rites of Spring, Fugazi, Government Issue, Jawbox, Scream e Bikini Kill, ao mesmo tempo em que examina as raízes da Atitude Mental Positiva, o nascimento do straight edge, a Dischord Records, o Revolution Summer, a Positive Force, o movimento Riot Grrrl e o emo. Muitas tendências e subgêneros nascidos em Washington foram disseminados pelo resto do país e, posteriormente, pelo mundo, causando um impacto profundo no punk. Uma cena que ultrapassou as barreiras geográficas em termos sonoros, culturais e ideológicos.

Este livro fornece uma janela para a história oculta de uma verdadeira revolução do rock, que invadiu o mainstream no início dos anos 1990. Uma história inspiradora. Uma história que merece ser contada.

Título: Dance of Days: duas décadas de punk na capital dos EUA
Preço de capa: R$ 59,90
ISBN: 978-85-62885-01-3
Ano: 2015
Idioma: Português
Páginas: 520
Tamanho: 16 cm x 23 cm x 3,4 cm
Acabamento: Brochura
Autores: Mark Andersen e Mark Jenkins
Tradutores: Marcelo Viegas e Ana Carolina Odinique
Edição: 1ª

Conheça mais títulos da Edições Ideal no site: www.edicoesideal.com


Elefante pergunta:  Qual destes livros você acha que é o ideal para ler no Dia do Rock?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Next Post

Joe Satriani volta ao Brasil em dezembro!

Wed Jul 13 , 2016
Que tal comemorar o Dia do Rock comprando um ingresso para o show de Joe Satriani? O guitarrista norte-americano Joe Satriani volta ao Brasil em dezembro, […]
Bitnami