Meu Nome é Amanda, Amanda Guimarães | Resenha

Não sei ao certo quando começaram a fazer livros de YouTubers, creio que a mais ou menos um ano. São vários títulos lançados ultimamente, para diversas faixas etárias, que nem consigo acompanhar. Até então, não havia lido nenhum dos títulos lançados… Mas dai veio a boa notícia: “Vou ao Brasil lançar meu livro!” da youtuber Mandy Candy. ♥

Conheci a Mandy pelo canal dela no ano passado (2015), deixei um comentário em um vídeo, ela respondeu (achei um máximo isso, pois nem todo mundo responde), tempos depois adicionei-a no Facebook, batemos o maior papo e nos tornamos amigas virtuais, já que ela mora em Hong Kong. Em junho desse ano ela veio ao Brasil para o lançamento do seu livro, e pude conhecê-la pessoalmente. 🙂

A convite da própria Mandy, tive a oportunidade de ir ao pré-lançamento do livro, promovido pela Editora Rocco aqui em São Paulo, no meio de julho. Foi um evento fechado, com um bate-papo sobre como foi a produção do livro, curiosidades, perguntas e respostas, tudo bem descontraído, e dessa forma conhecemos um pouco mais dessa “marota”.

Sinopse de “Meu Nome é Amanda”

unnamed (4)Com mais de 245 mil inscritos em seu canal no Youtube e vídeos que alcançam mais de um milhão de visualizações, a youtuber Mandy Candy conta sua história em livro. Nascida em Gravataí, no Rio Grande do Sul, Amanda nasceu num corpo de menino do qual sempre se sentiu desconectada. Ela juntou dinheiro e aos 19 anos, com o apoio da mãe, foi para a Tailândia fazer a cirurgia de redesignação sexual. Em seu canal no Youtube, ela fala, entre outras coisas, sobre feminismo e identidade de gênero, e faz enorme sucesso entre os adolescentes. No livro, Mandy conta tudo sobre bullying, sua fase de transição e sua trajetória até se tornar uma das youtubers mais conhecidas da internet.

Autor: Amanda Guimarães
Preço: R$19,50
136 pp. | 13,5×21 cm
ISBN: 978-85-68432-73-0
Assuntos: biografia/memórias/diários, identidade de gênero
Selo: Fábrica231


Resenha:

livro-mandy (4)

Como o conteúdo do livro é com uma linguagem voltada para o público jovem e como senti muita nostalgia ao lê-lo, decidi fazer uma resenha num formato diferente. Lembram-se de listas que fazíamos quando escrevíamos em diário (de papel, principalmente)? Então, é assim mesmo que será a resenha, uma lista.

10 motivos para ler “Meu Nome é Amanda”:

1 – É um livro auto-biográfico, ou seja, foi ela quem escreveu, então, pode confiar que não vai ter “close errado” (termos escritos errados) no conteúdo.

2 – Leitura rápida, pois a linguagem é dinâmica, fácil interpretação e são 136 páginas.

Observação: recomendado para todas as idades, porém, para crianças abaixo de 12 anos, há passagens que podem ficar incompreensíveis para eles. Se for o caso, leia com a criança ou leia antes para saber explicar. 😉

3 – Parece que você está lendo um diário, pois ela conta desde a sua infância até os dias atuais. E mais, li o livro todo com a voz dela na minha cabeça, parece que ela está ao seu lado contando tudo como nos vídeos.

livro-mandy (1)

4 – História inéditas que a Mandy não contou nos seus vídeos do YouTube, e se você não conhece o canal dela, na história ela indica qual vídeo procurar 🙂

5 – Também tem listas do que a autora gosta, além de smiles no meio do texto, hashtags e também fotos da Mandy. (Típico de um diário, não é mesmo?)

6 – Ótima diagramação, faz a gente ler sem cansar (eu li em duas horas) e terminei querendo mais. (Ainda bem que ela tem o canal no YouTube, então dá para acompanhá-la por lá).

7 – É uma montanha-russa de emoções, histórias de amor, ódio (infelizmente), paixão, aceitação, bullying… Coisas que muitas vezes não conseguimos imaginar o que uma pessoa trans pode passar, e a intensidade de como é mostrado, nos passa uma vontade enorme de abraçar a Mandy a todo momento.

8 – Ela mostra o quanto o amor vence muitas barreiras impostas pela sociedade. E sim, quando a gente quer, tudo é possível! O mundo pode ser cruel, porém, o amor, a família e os amigos podem te tirar de uma fase depressiva e momentos ruins.

9 – Depoimento da irmã da Mandy no livro, ou seja, a visão de quem conviveu de perto toda a história e suas descobertas, mostrando o quanto é importante dar (e receber) amor e suporte a quem é da nossa família.

10 – Você vai repensar alguns termos usados na sua fala ou nas pessoas ao seu redor que são transfóbicos, ou seja, terá mais empatia com as pessoas trans, desconstruindo um pensamento retrógrado e até mesmo deixando de magoar alguém, afinal, tem muitas pessoas trans que não dizem que são trans para não sofrerem preconceito ou ataque da sociedade.


Quando fui ao pré-lançamento, ainda nem havia saído o resultado da parceria com a Editora Rocco, e o livro veio nesse kit: sacola + camiseta + cartinha da Rocco

livro-mandy (5)
Kit “Meu Nome é Amanda”
Detalhe da camiseta
Detalhe da camiseta

Se você quiser conhecer a Mandy, ela ainda está no Brasil e você pode ter um livro autografado, confira as cidades que ela visitará:

agenda-mandy

Em São Paulo, ela estará autografando os livros em duas datas na Bienal do Livro, para retirar a senha para autógrafos confira o post que fizemos clicando aqui.


Adquira “Meu nome é Amanda” em:


Elefante pergunta: Você já conhecia a Mandy? 

De 1988. É formada em moda, nunca atuou na área e trabalha no setor administrativo de uma empresa de engenharia. Tem um blog pessoal; e é da equipe de produção e edição do site Elefante Voador.

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥