Elefante Conferiu

Tem oba-oba no Baobá, Claudia Lins | Resenha

No mês de julho, a Paulinas Editora lançou o livro Tem oba-oba no Baobá, da Claudia Lins, com ilustrações de Mauricio Negro, como vocês devem ter visto aqui. A Editora disponibilizou um exemplar para o Elefante Voador e fizemos questão de resenhá-lo. 🙂

Sinopse:

obaobaO livro apresenta às crianças histórias sobre pessoas e lugares especiais, como os Quilombos brasileiros, repletos de mistérios da mãe África.

Na montanha do Quilombo, a sábia tartaruga Nina Zina conta histórias para alegrar a árvore gigante que tem saudades da África, terra que nunca conheceu. Uma engenhosa aranha africana enfrenta desafios em busca das histórias que vivem na arca mágica de Nyame. Na floresta, tambores ecoam para a festa de casamento de Omoba, o filho do rei.

A obra aproxima as crianças do universo dos africanos que ajudaram a povoar o Nordeste brasileiro, de maneira leve, descontraída e curiosa.

Título: Tem oba-oba no baobá
Autor(a): Claudia Lins
Ilustrador(a): Mauricio Negro
PAULINAS – LIVROS
Coleção: Árvore falante
Formato: (18,0 x 23,0)
Páginas: 32
Código: 529478
ISBN: 9788535641592
Preço: R$ 30,20


Resenha:

Tem oba-oba no Baobá faz parte da coleção de livros infantis da Paulinas Editora. O livro é dividido em quatro partes, sendo a primeira uma introdução “Histórias com perfume de África que a tartaruga contou” e mais três histórias sobre a natureza, na visão dos animais, remetendo a África e os quilombos. O título do livro refere-se a uma das histórias contidas nele, as outras são: “A flor mágica do baobá” e “Como as histórias do céu vieram para na terra”.

tem oba oba no baoba 005

Todo o enredo nos remete às histórias que são contadas/passadas de geração em geração, seja de uma família, seja de um povo ou de um país. No caso, são histórias do universo africano, e sua influência no Nordeste do Brasil. Cada história contém uma mensagem de algum aprendizado, de uma forma bem sutil, que tanto crianças quanto adultos podem entender.

Logo na introdução, o narrador nos apresenta Nina Zina, que mora no Brasil, mas seus ancestrais viveram na África. E as histórias seguintes sempre há um representante da sua família ou ela mesma contando algo. E olha que interessante, Nina Zina é um animal, nada mais, nada menos do que uma tartaruga.

tem oba oba no baoba 002

O motivo: a tartaruga é um animal que vive muitos anos, e carrega essas histórias dentro de seu casco. Uma ótima metáfora, não? E mais, já imaginou o tanto de histórias que uma tartaruga pode lhe contar? Ela faz tudo tão tranquilamente, que deve observar tudo ao seu redor também. Essa metáfora toda é mostrada em “A flor mágica do baobá”.

A segunda história “Como as histórias do céu vieram para na terra” remete a ambição, o que um homem é capaz de fazer para conseguir a arca com todas as mágicas histórias do céu. Os truques e armadilhas para capturar três seres da mata em troca de uma recompensa. Não gostei do desfecho. Pois ficou muito vago, ficou evidente apenas essa ambição, faltou uma amarração melhor.

Ao mesmo tempo, essa ambição toda é utilizada como antagonista na última história, “Tem oba-oba no Baobá. Há um casamento na floresta e todos os bichos pretendem ir a festa com um presente bacana para os noivos. Cada um quer ser o mais rápido a chegar e quer dar o melhor presente.

Por conta dessa pressa toda, vão deixando cair os presentes nessa competição de quem chegará primeiro. Mas, um desses bichos não pode ser tão rápido quanto os outros, adivinha quem? Isso mesmo, a tartaruga, no caso é a avó de Nina Zina, a contadora das histórias.

Perseverante e no seu ritmo, mesmo adiantando-se (saindo antes de todos para não se atrasar), ela chega somente ao fim da cerimônia. Lentamente e com todos os presentes que foram esquecidos no caminho, encaminha-se aos noivos, entrega os presentes e ainda pede desculpas pois não levou nada. E no fim, ela fala uma mensagem de carinho e afeto, mostrando que a amizade e consideração podem ser melhores que um presente esquecido ou deixado no meio do caminho.

tem oba oba no baoba 001

Há várias palavras diferentes, de referência africana, que não fiz questão de procurá-las, e quando o livro chegou ao fim, eu vi que havia um glossário. Me “perdi” mais no último conto, pois haviam várias palavras que não fizeram sentido algum para mim, rs.

tem oba oba no baoba 003

É um livro bem rápido de ser ler. Um universo bem lúdico, temos pouca menção a personagens humanos, o destaque são os animais e árvores que expressam seus sentimentos e pensamentos.

Curiosidade: um elefante aparece na história 😉

Quanto a diagramação, é um livro bem estruturado, com letras leves e fluidas. Senti falta de mais imagens no meio do texto, pois há páginas seguidas apenas com texto, não sei se prenderia todas as crianças (que geralmente distraem-se rapidamente). Só sei que imaginei o livro numa versão quadrinho ou num desenho animado, funcionaria muito bem.

tem oba oba no baoba 004


Encontre o livro em:


Elefante pergunta: Você lê histórias de cultura africana?

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥