Minhas Conversas Com o Diabo – Livro I, Mario Bentes | Resenha

Primeiramente, devo admitir que fiquei com medo de começar a ler esse livro só por causa do título. Não temo histórias do gênero, como vocês bem sabem sou a parte “livros de terror” aqui no Elefante. Mas, por dizerem que “brincar” com esse tipo de coisa, pode ser perigoso.

Para minha surpresa, na introdução, o autor disse temer a mesma coisa. Entendi que o livro não se trata de “brincar” com o diabo ou alguma crença. Trata-se de dilemas do dia a dia que podem estar ou não, próximos de nós. E, talvez, tenha mais “gente” escutando do que gostaríamos. Se você acredita nisso (ou não), não estou aqui para tratar deste assunto.

A História diz que o Rei Salomão invocou e registrou o encontro com 72 demônios. E assim, o autor Mario Bentes transportou o encontro com esses demônios para o “nosso tempo” em situações que nos é conhecidas. Dessa forma, transformou-os em contos:

Eu Corrompi Homens Santos — Onde um padre começa a receber uma presença em seus sonhos quando começa a se questionar da escolha que fez ao entrar para a Igreja.

Topa Um Acordo, Menino? — Uma mãe e seu filho passam por árduas necessidades após o desaparecimento do pai e o menino recebe uma visita onde surge a oportunidade de ter seu pai de volta.

Esquecer de Viver — Uma mãe solteira nova que vive com as tias, tem de conviver com piadas maldosas dos vizinhos. Ganha uma nova chance de recomeçar e viver de novo.

A mulher que me amou — Um homem preso num hospital psiquiátrico está prestes a não poder cumprir uma promessa que fez à sua amada de infância. Isso o deixa à beira do desespero. Eis que uma entidade surge, e é esse o único que desejo que ele tem a fazer.

À espera da próxima carta — Uma senhora que vive metodicamente todos os dias e acha que tudo está caminhando muito bem começa a se questionar quando começa a receber cartas anônimas de uma entidade com quem facilmente confia seus segredos mais íntimos;

A mulher da capa de couro  uma esposa que viveu devotamente e não se rendeu à ganância ganha uma recompensa por ter resistido com bravura à toda provação pela qual passou;

Diga-me tu, filho do homem — qual teu sonho: um escritor que vê seu futuro ir se esvair dia à dia recebe uma proposta e leva apenas um dia, após uma caminhada no centro da cidade, para decidir o que ele não quer para seu futuro.


Segundamente, virei fã do Mario Bentes! Ele consegue nos prender a cada conto e possui um talento notável. Cada conto é um tipo de narrativa diferente, com uma época perceptivelmente diferente, um novo tipo de ambientação, na qual sentimos a mudança de um conto para outro.

Os assuntos abordado nos faz questionar “e se fosse comigo?”. Além de outras tantas perguntas que não cabe colocar aqui pois são assuntos bem polêmicos e complexos. Mas, se alguém tiver a curiosidade de ler e quiser vir conversar comigo, tô aqui!

É incrível que Minhas Conversas Com o Diabo seja uma série, esse é apenas o livro 1 e tem muito mais por vir. Fiquei realmente surpresa, pois não conhecia a editora Lendari antes dela se tornar parceira do Elefante Voador. Fiquei satisfeitíssima com o capricho das páginas e na escolha do autor que preencheu-as!


Elefante pergunta: Você já teve conversas com o “diabo”?

Sulsancaetanense de 29 anos. Lê um livro atrás do outro, joga todo dia e acompanha cerca de 40 séries ao mesmo tempo. Colaboradora do Elefante Voador. Twitter: @juhggernaut0 / Instagram: @juhggernaut0

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥

  • Aichha Carolina Pereira

    Oi Juliana,
    Não tive nem quero ter kkkk
    Só essa capa já da arrepios, porém fiquei curiosa para ler, deve ser assustador.
    Beijos

    • Juliana

      Deixa a gente um pouquinho em choque sim >< Estou até agora um pouco assim eheheheh Um beijo!