resistencia affinity konar

Resistência, Affinity Konar | Resenha

Todos sabem que a Segunda Guerra Mundial foi um acontecimento muito ruim em diversos cenários. Por conta desse peso que a guerra trouxe a todos, muitas narrativas ainda são construídas a partir desse momento histórico. “Resistência” de Affinity Konar foi lançado no Brasil em março pela Editora Rocco.

Mesmo que você nunca tenha lido histórias sobre o holocausto, com certeza deve saber o quão tenso era viver nessa época. O livro traz uma narrativa sob os olhos das irmãs gêmeas Stasha e Pearl que foram um dos experimentos do Doutor Mengele. A narrativa é baseada em fatos reais, portanto, estejam cientes que as irmãs existiram e resistiram a muitas coisas.

Gêmeos eram considerados “experimentos científicos” para os nazistas. Quando iam para os campos de concentração, além de serem separados das famílias, eram separados das outras crianças.

Stasha e Pearl ficaram nessa parte do campo de concentração destinado a gemelares. Conheceram vários outros gêmeos e também apenas um dos pares, pois o outro já havia sido separado. Ali começaram a alienação quanto aos experimentos. Elas acreditavam que sendo obedientes, poderiam livrar sua mãe e seu avó das torturas. No entanto, percebem o quão ruim é ser cuidada pelo “tio”. Muitas crianças morreram nesses experimentos e muitas sobreviveram com sequelas.

“Eu queria argumentar que às vezes os seres vivos, nós, os humanos que supostamente ainda estávamos vivos, precisávamos nos considerar objetos para sobreviver, que tínhamos de nós esconder e procurar o conserto só quando fosse seguro procurar. (…)” (Pág 21)

As gêmeas tinham uma conexão tão grande que fizeram questão de separar suas funções dentro desse local terrível. Uma ficaria responsável em guardar o passado e a outra responsável pelo futuro. Esse combinado seria o chamariz para que ambas persistissem em viver. No início elas ficam juntas, mas depois são separadas, a partir desse ponto começamos a ter agonia com os próximos fatos.

resistencia affinity konar

Como é uma narrativa dupla, ficamos tensos e desesperados para saber o que vai acontecer. A história fica dividida entre os pensamentos de Stasha e Pearl. É uma leitura de partir o coração, vemos o ódio e o amor lado a lado com a esperança do reencontro. Estar na mente de crianças tão amorosas que foram condenadas à tantas torturas, é de partir o coração. No entanto, queremos continuar a ler, ficamos com receio do que irá acontecer com as gêmeas a cada novo acontecimento.

Conseguimos sentir a dor da separação e sentimos raiva com as mentiras contadas. Saber que elas foram mutiladas também, é muito intenso. No contraponto, vemos a sede de vingança e sobrevivência. A falta de empatia delas pelo torturador foi algo que fez elas sobreviverem. Além do amor que sentiam uma pela outra. Fica nítido que elas sobreviveram por se amarem e pela conexão.

As surpresas finais do livro são de emocionar. Faltam poucas páginas e parece que não terá solução. Porém, a autora consegue te convencer e deixa o final mais leve e simples com o reencontro das gêmeas. (Observação: não há nada de spoiler nessa última afirmação, pois as gêmeas existiram – com outros nomes -, portanto, sabemos que ambas sobreviveram e se reencontraram).

Não leio muitas histórias baseadas na guerra por trazerem um peso muito grande. Foi um livro que não me prendeu inicialmente, demorou um pouco a engatar. Depois que a narrativa engata, ela te prende até o fim. É um texto fácil de ler, ao mesmo tempo que é forte, intensa e triste.

Vale ressaltar que a história não saiu da imaginação de Affinity Konar, os experimentos com gêmeos aconteceram, são fatos históricos reais e muitos torturadores foram condenados. No fim do livro, nas notas da autora, ela revela o tanto de referências que teve para escrever esse romance.


Sinopse:

resistencia affinity konar“Resistência” narra a trajetória de duas irmãs gêmeas lutando pela sobrevivência na Segunda Guerra Mundial. Pearl e Stasha chegam a Auschwitz em 1944 e ainda vivem sob o encantamento da infância – têm uma conexão muito forte, se entendem, se confortam e brincam juntas. Como parte de um experimento chamado Zoológico de Mengele, as irmãs conhecem o horror e têm suas identidades fraturadas pela dor e pelo sofrimento.

No inverno, Pearl desaparece; Stasha chora pela irmã, mas mantém a esperança de encontrá-la viva. Ao final do conflito, Stasha se depara com um mundo em ruínas, uma Polônia devastada pela guerra, e tenta reconstruir sua vida a partir dali. Romance narrado com uma voz poderosa e única, “Resistência” desafia qualquer expectativa ao atravessar um dos períodos mais devastadores da história contemporânea e mostrar que há beleza e esperança até diante do caos e ganhou elogios da crítica e de autores como Anthony Doerr, de “Toda luz que não podemos ver”.

Leia um trecho clicando aqui.


Elefante pergunta: Você gosta de romances baseados em guerra? Se sim, qual você nos indica?

De 1988. É formada em moda, nunca atuou na área e trabalha no setor administrativo de uma empresa de engenharia. Tem um blog pessoal; e é da equipe de produção e edição do site Elefante Voador.

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥