Elefante Conferiu

A Chave de Bronze, Cassandra Clare e Holly Black | Resenha

Hoje é dia de resenha e, MELHOR AINDA, resenha de Cassandra Clare e Holly Black ♥ A Chave de Bronze é o terceiro volume da série Magisterium e foi publicado pela Galera Record em novembro do ano passado. Conheça um pouco mais sobre a obra:

Sinopse: Aqui, Holly Black e Cassandra Clare nos presenteiam com uma escola em que qualquer coisa boa ou ruim pode acontecer, e o único jeito de desvendar a verdade é arriscando tudo para encontrá-la. Call, Tamara e Aaron deveriam estar preocupados com coisas normais na vida de jovens aprendizes de mago. Ao invés disso, depois da assustadora morte de um de seus colegas de classe, eles devem rastrear um terrível assassino… e arriscar suas próprias vidas no processo. O trio terá que usar toda sua força e magia para combater o mal que está escondido no Magisterium. Mas, dessa vez, o Caos irá revidar.

Título Original: Magisterium, vol.3 – The bronze key
Tradutor: Rita Sussekind
EAN: 9788501077363
Gênero: Juvenil
Coleção: Magisterium
Páginas: 272
Formato: 16 x 23 x 1,4 cm
Editora: Galera Record
Preço: R$ 39,90


Resenha

O que acontece quando se tem o caos dentro de si?

Confesso que quando comecei a ler A Chave de Bronze, eu não lembrava quase nada do que aconteceu no último volume (A Luva de Cobre), mas isso não foi um problema até porque as autoras estão sempre relembrando os fatos mais importantes dos livros anteriores durante a narrativa. Então, em pouco tempo, eu já estava envolvida novamente com a história de Callum Hunt e seus amigos ♥

Em A Chave de Bronze, Call, Aaron e Tamara voltam ao Magisterium para dar continuidade aos estudos, desta vez no terceiro ano: o ano de bronze. Depois de supostamente o inimigo ter sido derrotado, uma sensação de paz e segurança predominava sobre a escola de magia. Mas, essa sensação não durou muito tempo.

[…] talvez Call pudesse passar seu Ano de Bronze apenas aprendendo coisas e se envolvendo em encrencas normais e divertidas, em vez das que acabam com o mundo e tudo mais.
Desde que mantivesse Devastação longe da floresta e dos assassinos de animais.
Desde que o Mestre Joseph não voltasse.
Desde que realmente não houvesse nada de errado com a sua alma.

Durante uma cerimônia para homenagear os alunos que se livraram de Constantine, uma aluna é assassinada e fica claro que Call também está em perigo. Alguém está seguindo seus passos e preparando emboscadas para acabar com a vida do garoto. É assim que as perguntas começam: Será que é alguém que sabe sobre seu grande segredo e quer evitar que o grande inimigo ressurja? Será que é alguém que se sente ameaçado pelo seu poder? 

Então a questão é saber se a pessoa que tentou matar Call na cerimônia é alguém que estaria no Magisterium — disse Tamara, mexendo e alguns papeis. — Fiz uma lista de todas as pessoas que estudam ou dão aula aqui, assim como membros da Assembleia que têm trânsito livre.

Para descobrirem a verdade, Call, Aaron e Tamara começam a investigar por conta própria. Eles acham que a melhor maneira de descobrir quem é o espião-assassino, é perguntar para os elementais que estão confinados no Magisterium colocando a própria vida em risco. Para isso, eles precisarão roubar a Chave de Bronze que dá acesso ao local, passar por cima das regras impostas pelos mestres e torcer parar saírem vivos dessa aventura. Tudo isso, é claro, sem descuidar de suas tarefas como alunos do Magisterium. 

Ao longo da narrativa, fica muito evidente o conflito interno que Call está vivendo por saber que o Inimigo vive dentro dele. Ele tem medo de que suas escolhas e ações  façam com que ele se torne Constantine Madden. Apesar de seus amigos conhecerem seu segredo e, ainda sim, continuarem sendo seus amigos, ele sabe que se as outras pessoas souberem disso, ele não terá tanta sorte. Ninguém vai querer pagar para ver o que ele irá se tornar.

Call […] pensou no ano anterior e em todas as coisas que nunca contou ao Mestre Rufus sobre a missão  fracassada para recuperar o Alkahest. Se ele fosse uma pessoa melhor, teria confessado tudo ali mesmo. Mas, ele ele fosse uma pessoa melhor, o problema talvez sequer existisse.

Assim como nos outros volumes da série, A Chave de Bronze traz uma narrativa leve, cheia de aventura, magia e mistério. O livro é cheio de reviravoltas. As autoras nunca optam pelo óbvio e conseguem nos surpreender capítulo após capítulo sem deixar de lado o humor. A história toma um rumo que eu não imaginava e o final me surpreendeu bastante.

Será que algum dia poderia haver paz de verdade, Call pensou, uma vez que o Inimigo da Morte não está mesmo morto?

Onde comprar?


Elefante pergunta: O que você acha que vai acontecer no quarto volume de Magisterium?

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥