Durante a Flipoços, que aconteceu entre os 29 de abril e 07 de maio em Poços de Caldas, tive a oportunidade de conhecer Walquiria F. Endlich, autora de A Senhora do Caos.

Na ocasião, a Walquiria nos presenteou com um exemplar do primeiro volume da série, A Viajante e o Dragão e nós resenhamos aqui no Elefante Voador. Agora trazemos uma entrevista com ela e o resultado ficou bem bacana. ♥ Confira:

Elefante Voador: Quem é a W. F. Endlich?

W. F. Endlich: A W. F. Endlich é uma pessoa que acredita em sonhos e no potencial humano para realizar seus desejos. Ama a humanidade pelo simples fato de acreditar que um dia seremos bem melhores do que já somos hoje ou fomos um dia.

Uma pessoa que acredita que o mundo será um lugar lindo para vivermos, basta que todos nós trabalhemos muito para construir nosso mundo mais mágico, justo e onde as pessoas amem umas às outras. A autora de A Senhora do Caos é uma menina que cresceu com um sonho e uma mulher que não teve medo de lutar por ele.

Elefante Voador: Você sempre teve o hábito de ler?

W. F. Endlich: Mais ou menos… Pelo menos, não livros. Minha família não tinha dinheiro para comprá-los, então eu pegava emprestado gibis de uma amiga que colecionava. Li meu primeiro livro forçada pela minha professora de português da 6ª série. E, depois disso, nunca mais parei. Mas o engraçado, é que mesmo na época em que não tinha o hábito de ler livros, eu já tinha a compulsão por escrever.

Elefante Voador: Quando você percebeu que gostaria de escrever livros? Conte um pouco sobre sua trajetória como escritora:

W. F. Endlich: Não houve um evento, do tipo… agora vou escrever um livro, ou seja, sou uma escritora desde o dia tal do mês sei lá e do ano não lembro (rsrs). Eu cresci e resolvi escrever.

Meu primeiro “livro” eu conclui a escrita aos 12 anos. Escrever sempre foi algo que fiz naturalmente. Na verdade, acho que sou escritora desde que me alfabetizei, mas antes mesmo de saber escrever, eu já inventava histórias mirabolantes em minha mente. Ora para acalentar e outras para assustar minha irmã mais nova.

Acho que meu maior motivador foi o fato de sermos extremamente pobres e havia em mim uma necessidade de descobrir o mundo, e um revés enorme que muito possivelmente me impediria de fazer isso. Portanto, de alguma maneira surreal, eu libertava a minha mente e ela viajava. Foi assim que comecei a inventar o Daran, o mundo do meu livro.

Elefante Voador: Quais autores você admira e têm como referência na literatura?

W. F. Endlich: Eu sempre digo que essa é uma pergunta difícil de responder, pois gosto de muitos autores. Gosto do que é bom e do que me diverte.

Eu gosto da J.K. Rowling, da Trudi Canavan, de Érico Veríssimo, de Eleannor H. Porter. Admiro a Agatha Christie e seus mais de oitenta livros. Sou amante de livros em geral. Mas, é claro, que estouesquecendo de muitos outros que também adoro!

Acho que fica mais fácil dizer o que não gosto (rsrs). Não que tenha algo contra, até acho extremamente interessante e louvável como se vendem esses livros no Brasil, uma verdadeira façanha! Mas me canso fácil de livros de autoajuda. Também não sou chegada a livros com teses muito extensas. Quando preciso de uma pesquisa onde faça uma leitura dessas, meu marido me ajuda, pois coisas de cientista são com ele mesmo!

Elefante Voador: Qual foi a sensação de ter seu primeiro livro publicado?

W. F. Endlich: Foi incrível. Eu fiquei emocionada e olhava para o livro pensando se era real mesmo. Peguei na mão, chorei, abri, virei as páginas e cheirei. Era como se não fosse de verdade.

Elefante Voador: O que você pode contar aos leitores sobre “A Senhora do Caos”?

W. F. Endlich: Esse primeiro livro, A Viajante e o Dragão é ambientado em um mundo onde magia existe e eu criei esse lugar ao longo dos anos. Não foi de uma hora pra outra, então, no livro tudo tem um motivo e todos os personagens possuem uma história. Não pensem que nada que escrevo é obra do acaso, pois a sorte não tem nada a ver com isso.

Se uma coisa quebra em algum lugar e descrevo isso para o leitor, é porque isso terá importância no decorrer do enredo. Meus personagens são mais profundos e as tramas muito mais densas. Mas precisarei descrever melhor alguns detalhes no segundo e terceiro livro, se não… Quantas páginas esse volume teria? (risos)

É um mundo de magia que se entrelaça com a Terra, e JoiceKilayra sofrerão muito até que possa ajudá-las com seus problemas. O trabalho do autor é complicar mais que facilitar. Esse é um livro de aventura, magia, mistério e muito amor. Não apenas o amor romântico, mas um sentimento sublimado pela família, amigos e, é claro, também pelos casais de namorados.

Leia também: A Senhora do Caos – A Viajante e o Dragão, W. F. Endlich | Resenha

Elefante Voador: Como foi o processo de criação desse universo e de seus personagens?

W. F. Endlich: Como disse, é um lugar que criei na minha infância, e os personagens são uma colcha de retalhos, cada um tem partes de pessoas que conheço e, é claro, bastante de mim também. Como eu jogava RPG creio que fica um pouco mais fácil escrever e montar a ficha com o perfil dos personagens.

No fundo, não faço a menor ideia de onde eles vêm. Bem, o cabelo da Joice eu me inspirei nas madeixas ruivas de minha filha. E, possivelmente, no segundo livro irei fazer um personagem bacana para homenagear meu filho. Mas, acredito que além de uma ou outra característica, eles não tem muito em comum com as pessoas ao meu redor. Sei que parece estranho, mas é como se eles vivessem em algum lugar recôndito de minha mente.

Nem sei se consigo explicar, eles são uma mescla de muita gente. São desejos, vontades e sonhos que a escritora tem e algumas coisas que roubamos do mundo real ao observá-lo.

Elefante Voador: De onde veio a inspiração para essa história?

W. F. Endlich: A inspiração está em todo lugar, ela está presente no dia-a-dia. Numa música que escutamos, uma cena que vemos e até mesmo uma conversa que temos com alguém ou ouvimos de alguém (hehehe). Sim, autores prestam atenção no mundo à sua volta e tudo é material para escrita.

Elefante Voador: Como tem sido a repercussão do livro “A Viajante e o Dragão”?

W. F. Endlich: Eu acho que o livro está muito bem. O lançamento fez um ano em julho/agosto. O fato maravilhoso é poder encontrar pessoas e elas conversarem contigo sobre personalidades que antes só faziam sentido na sua cabeça, ou de uns poucos que conhecem a sua obra.

Quando alguém me pergunta do segundo livro, ou mesmo briga comigo por um ou outro acontecimento, isso é um sentimento impagável. O livro tem estado entre os mais baixados da Amazon e isso é um orgulho muito grande pra mim.

Acredito que o trabalho está sendo feito de maneira sistemática e a divulgação tem sido muito satisfatória. Apesar de que estamos falando de literatura no Brasil, onde não é segredo pra ninguém que precisamos evoluir muito ainda.

Elefante Voador: Você gostaria de ver a obra adaptada para outros formatos?

W. F. Endlich: Claro que sim, seria ótimo! Um sonho. E quem sabe um dia, né?

Elefante Voador: O que podemos esperar para os próximos volumes?

W. F. Endlich: Muita ação e muitas surpresas. As coisas estão muito complicadas para as protagonistas no segundo livro e não pretendo facilitar muito no terceiro. Porém, é claro que tentarei fazer com que o amor triunfe (risos).

Elefante Voador: Você já tem outras histórias em mente para escrever? Quais gêneros?

W. F. Endlich:  Sim, eu tenho uma ficção bem leve, drama, mistério, mas estou focada em terminar esse projeto.

Elefante Voador: Fale um sobre pouco as antologias que você está participando.

W. F. Endlich: Estou participando de uma de mistério pela Editora Coerência e outra pela AZO, com dois contos de assassinatos.

Também participo de um conto sobre princesas, que é onde eu faço uma continuação de uma das histórias de A Senhora do Caos, falando sobre uma de minhas personagens de influência no livro.

Acho que por hora são esses mesmo. Mas estou aberta a novas antologias. Gostei de escrever contos. Pra mim é um desafio contar uma história com poucas páginas.

Elefante Voador: Como é sua relação com os leitores, na internet e rede sociais?

W. F. Endlich: A melhor de todas! Eu tenho por perto pessoas incríveis que me ajudam sempre. Meus leitores são como amigos. Pessoas que eu encontrei ao longo do caminho e que dividem comigo o sonho de viajar pelo Daran.

Elefante Voador: Deixe uma mensagem para os leitores do Elefante Voador

W. F. Endlich: A sorte não é obra do acaso, ela é composta por 99% de suor e 1% de oportunidade propriamente dita.

Suor porque precisamos estar prontos e preparados quando a nossa chance aparece, pois pode ser que tenhamos apenas uma única vez para fazer tudo dar certo. Então, temos que ter ensaiado muito antes, para na hora “H” fazermos o que é preciso e da melhor maneira que conseguirmos. Isso é sorte no meu ponto de vista.

Jogo rápido

Um autor(a) brasileiro(a): Antigo: Erico Veríssimo / Novo: André Vianco

Um autor(a) estrangeiro (a): J.K. Rowling e Diana Gabaldon

Um livro nacional: Olhai os Lírios do Campo (Érico Veríssimo)

Um livro estrangeiro: Outlander (Diana Gabaldon)

Um personagem literário que se identifica: Kilayra

Um filme/série: Outlander (Série) /A História de Nós Dois (filme)

Uma musica: Andança (Beh Carvalho)

Um sonho a realizar: Ser mais conhecida como autora.

Uma frase: O Homem é formado a partir do que pensa que ele é. Por isso, pense grande e sonhe muito, mas trabalhe duro para conseguir seus objetivos. Nossos sonhos são o que mais importam em nossa existência, pois são as metas de nossa alma. 

Conheça um pouco mais sobre o trabalho da W. F. Endlich em sua página no Facebook ou no Wattpad.


Elefante pergunta: Indique um autor nacional que você gostaria que fosse entrevistado pelo Elefante Voador

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Next Post

Todas as Mãos Reveladas, Gus Hansen | Resenha

Fri Oct 27 , 2017
Hoje trazemos a resenha do livro Todas as Mãos Reveladas, uma obra voltada para os jogadores de poker, mas que traz uma lição bem além […]
Bitnami