O Urso e o Rouxinol, Katherine Arden | Resenha

Para a resenha de hoje, trazemos um lançamento de agosto da Editora Rocco: O Urso e o Rouxinol, de Katherine Arden, que é uma viagem fantástica ao folclore russo. Esperamos que gostem!

Nas distantes terras do norte da Rússia, quase engolidas por uma extensa e milenar floresta, o inverno rigoroso dura a maior parte do ano, maltratando pessoas e animais. Órfã de mãe e filha caçula do rico e generoso senhor feudal daquela região, a pequena Vasya cresce sob a proteção de seus irmãos mais velhos, alimentada pelos fascinantes contos de fadas que a ama conta às crianças ao redor do forno.
Essas histórias trazem personagens como o temido Rei do Inverno, considerado a própria Morte, e seu irmão gêmeo, o Urso, que se fortalece com o medo e as guerras. Para Vasya, a única que vê os seres mágicos da floresta e os espíritos guardiões que protegem sua casa, os gêmeos podem ser reais e uma ameaça aterrorizante.
Quando o pai de Vasya retorna com uma nova esposa após uma viagem a Moscou, a vida da filha caçula e de todos à sua volta sofre duras consequências. A pedido da madrasta, um jovem padre vem à região e passa a pregar contra as antigas crenças locais, gerando discórdia e intolerância ao mesmo tempo que enfraquece os espíritos guardiões e abre espaço para o mais diabólico dos inimigos. Resta a Vasya lutar por sua gente antes que seja tarde demais.
Livro de estreia da norte-americana Katherine Arden e lançamento do selo Fábrica231, O urso e o rouxinol mergulha no folclore russo para nos apresentar uma aventura mágica que valoriza a força do amor, denuncia o alcance devastador dos discursos de ódio e ainda questiona o limitante papel da mulher numa sociedade medieval. Temas atuais abordados com a delicadeza e o encanto eterno dos contos de fadas.

Autor: Katherine Arden
Tradução: Elisa Nazarian
Preço: R$ 49,90
320 pp. | 16×23 cm
ISBN: 978-85-9517-023-0
Assuntosficção – romance/novela, fantasia
Selo: Fábrica231


Resenha

Eles só vêm buscar a donzela selvagem.

Em o Urso e o Rouxinol conhecemos Vasilisa, a irmã mais nova de quatro filhos, e que nasceu com um dom especial de visão. Essa visão lhe permite ver seres mágicos que vivem ao redor de sua casa no norte de Rus’ e conversar com os animais.

Além disso, o frio rigoroso do inverno parece não afetá-la da mesma maneira. Esse dom que a menina tem, é visto pelos moradores como como algo ruim, como feitiçaria, e eles a culpam por atraírem demônios para a região.

A sombra na parede. Você não deve confiar nele. Cuidado com os mortos, Cuidado com os mortos.

Alguns anos após a morte da mãe de Vasya, seu pai vai a Moscou e retorna com uma nova esposa. Anna é extremamente devota e proíbe a família de louvar os espíritos antigos. Isso acaba por enfraquecer a proteção que os seres mágicos criavam ao redor do vilarejo e faz com que um mal maior desperte para assombrá-los.

Precisando ir contra aqueles que ama, e descobrir a extensão verdadeira de seus poderes, Vasya enfrenta uma jornada perigosa para proteger sua família e seu querido lar. Ela descobrirá que os contos de fadas são mais reais e mortais, do que imaginava e pior ainda, se verá no meio deles.

Um carvalho agigantou-se em seu caminho. Ela parou. Não era uma árvore como as outras. Era maior, mais escura e retorcida como uma velha malvada. O vento sacudiu os grandes galhos escuros.

Eu gostei bastante da narrativa da O urso e o Rouxinol. Li bastante rápido inclusive. Dividida em três partes, é uma história misteriosa que nos instiga a ler, ler e ler sem descansar para descobrir o que está acontecendo e como será seu desfecho.

É engraçado que no começo da narrativa, antes mesmo de Vasya nascer, sua ama Dunya conta uma história sobre o Rei do Gelo, um demônio do inverno chamado Morozko. Conforme avançamos a leitura, percebemos que a própria história da Vasya tem muita semelhança com essa lenda, então temos uma noção de que os perigos que ela enfrentará, são muito maiores do que as ameaças que ela sobre dos moradores de Rus’.

— Por favor, rei do inverno — Dunya pediu com humildade, apertando as mãos juntas. —  Mais um ano. Mais uma estação com o sol. Ela se tornará forte como a chuva e a luz do sol. Não vou, não posso dar minha menina para o Inverno agora.

Katherine Arden tem um estilo de narrativa muito convincente. Ela trabalha muito bem com a descrição dos cenários, ações e personagens. É quase possível sentir o frio que ela menciona praticamente a história toda!

Fica a dica para leitores que gostam de histórias com um quê de fábula. Um livro de fantasia com um folclore riquíssimo e que vale a pena se deixar levar por ele. Com personagens bem construídos e uma temática assustadora e ao mesmo tempo deslumbrante♥


Elefante pergunta: qual foi o livro que mais te surpreendeu esse ano?

Cintia, 30 anos, é uma das criadoras do Elefante Voador, responsável pela seleção e redação de conteúdo do site, além da cobertura fotográfica dos eventos. Mora em Poços de Caldas/MG), formada em Design Gráfico e atua como diagramadora de livros. Aspirante a escritora, sonhadora, apaixonada por livros, gatos, música pop, pizza e chocolate. Twitter: @superci / Instagram: @cisuperci

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥