Elefante Conferiu

Elefante Voador no João Rock | 2018

Pelo segundo ano consecutivo o Elefante Voador esteve presente no João Rock, que aconteceu em 09 de junho em Ribeirão Preto, SP. A 17ª edição do evento trouxe mais de 12 horas do melhor da música nacional em seus três palcos (João Rock, Brasil e Fortalecendo a Cena) e teve um público de 60 mil pessoas.

O Palco Brasil recebeu grandes artistas da nossa música e contagiou uma multidão de apaixonados por MPB: Mutantes, Refavela 40 (com Gilberto Gil, Moreno Veloso, Anelis Assumpção, Chiara Chivello, Bem Gil e Mestrinho), Ofertório (com Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso) e Tom Zé.

Kilotones, Dônica, Sinara, Rael, Froid e Fransisco El Hombre foram os responsáveis por tirar a galera do chão no Palco Fortalecendo a Cena.

Supercombo / Foto: Roberto Galhardo

O Elefante Voador andou bastante para conhecer o local mas depois não conseguiu levantar mais as asas e se afastar do Palco João Rock porque estava tudo bom demais! Quando chegamos, Supercombo estava se apresentando e decidimos ficar por aqui e conhecer melhor o repertório da banda.

Ótima decisão. Nós divertimos muito! — Cintia

Chorei de emoção, sim sou muito emo — Leo

Raimundos / Foto: Roberto Galhardo

O Palco João Rock tem uma estrutura gigantesca formada por dois palcos. Acaba um show, já começa outro logo ao lado, com uma pontualidade incrível. E foi assim que, após curtir a apresentação do Supercombo, já estávamos pulando e cantando ao som dos sucessos dos Raimundos.

A emoção de escutar os Raimundos ao vivo não cabia mais em mim. Extravasei cantando alto, pulando e relembrando o quanto eles foram presentes em minha adolescência e o quanto ainda os levo com carinho no coração. — Cintia.

Adoro os hits deles e pulei muiiito, mas jamais me jogaria em uma roda punk — Leo

A banda tocou sucessos como A mais pedida, Me lambe, O Pão da Minha Prima, Mulher de Fases, Eu Quero é Ver o Oco e mais. Uma hora foi pouco para tantas músicas que ainda gostaríamos de ter ouvido.

Skank / Foto: Denilson Santos e Deividi Correa

Sai Raimundos, entra Skank. E que show, meus amigos. Que show! Faltou horas ali para que a banda de Samuel Rosa pudesse apresentar todos os seus hits. O Skank esbanjou simpatia embalou a galera ao som de: Jackie Tequila, Garota Nacional, É Uma Partida de Futebol, Vamos Fugir, Ainda Gosto Dela, Vou Deixar, Te Ver, Ela Me Deixou, É proibido fumar…  Volta no próximo ano, Skank? Nunca te pedimos nada!

Samuel Rosa é a simpatia em pessoa. Não tinha como não se deixar contagiar. Foi ótimo poder relembrar os sucessos da banda. — Cintia.

Vamos fugir foi especialmente emocionante, o evento todo cantando essa música foi uma sensação única.  — Leo.

Pitty / Foto: Denilson Santos e Deividi Correa

Ah, amigos voadores. Foi então que o Palco João Rock foi dominado por nossa rainha do rock nacional, Pitty! No ano passado nós já tivemos a oportunidade de ver a apresentação da cantora no festival e mais uma vez ela não decepcionou. Trouxe um repertório diversificado, cantando desde seus maiores hits (Máscara, Admirável Chip Novo, Me Adora, Equalize…) a músicas mais novas, e um cover que misturou Beyoncé, Rita Lee e Elza Soares, recebendo no palco Tássia Reis e Emmily Barreto.

Quando a Pitty pisa no palco, não tem pra ninguém. Essa mulher nasceu para a música. — Cintia.

Pitty é minha ídola, cantei o show inteiro, pulei, berrei, aplaudi… a presença de palco e a  voz dela ao vivo são incomparáveis. —  Leo.

Boatos dizem que a Cintia chorou ao som de Na Minha Estante. Mas, quem nunca?

Natiruts / Foto: Roberto Galhardo

Depois da Pitty, quem tomou conta do palco foi reggae do Natiruts, que com num clima descontraído e divertido, colocou todo mundo para cantar seus sucessos: Natiruts Reggae Power, Na Positiva, Quero Ser Feliz Também, Liberdade pra dentro da cabeça, entre tantos outros!

É aquela banda que toca “do lado de cá”? ~eu fazendo piada~ Brincadeiras a parte, mesmo fora do cenário há algum tempo, eles provaram que continuam um sucesso! — Leo.

Gabriel O Pensador / Roberto Galhardo

E o que falar da apresentação de Gabriel, O Pensador? Cheia de convidados, cheia de humor e  crítica. Rolou até uma homenagem ao Charlie Brown Jr que nos deixou emocionados. O auge se deu pela apresentação da música Cachimbo da Paz, que todo mundo estava aguardando ansiosamente!

Adorei. Nunca imaginei assistir um show do Gabriel ao vivo e com certeza valeu cada minuto. — Cintia.

Achei que não ia conhecer quase nenhuma música, cantei  horrores. — Leo.

Criolo / Foto: Roberto Galhardo

Quase no finzinho do festival, o Criolo entrou no palco e provou que existe amor em SP sim, ao menos em Ribeirão Preto, onde todos cantavam na mesma voz. Entre uma música e outra e manifestos políticos, Criolo dividiu o palco com o amigo Rael. Foi uma apresentação emocionante e imperdível!

Planet Hemp / Foto: Roberto Galhardo

Para fechar a noite, Marcelo D2 e o Planet Hemp chegaram para manter o respeeeeito. Mas nesse momento o Elefante já estava cansado, rouco e com fome. Pedimos perdão aos fãs dessas bandas, nossas asinhas estavam clamando por um bom descanso.

A mensagem que ficou este ano é que o festival não é nenhum pouco restrito ao Rock. O Rap, Reggae e Samba marcaram presença onde o intuito é celebrar a boa música do Brasil. O João Rock já mora no coração do Elefante Voador e seremos figurinhas carimbadas lá todos os anos. Enquanto houver João Rock, voaremos até o festival.


Elefante pergunta: Você também estava no João Rock? Conta pra gente qual foi o show que você mais gostou de assistir.

Você também poderá gostar de:

Comente via FB ♥