Elefante Conferiu, Elefante Recomenda

Meu doce remetente, Vânia Dias | Resenha

Cartas, ah… cartas. Vocês ainda recebem cartas escritas a mão? Sei que com toda a tecnologia de hoje, escrever cartas parece algo “demorado” demais, mas pensem em como era interessante  esperar por alguma notícia boa depois de alguns dias.

Meu doce remetente é o primeiro romance de Vânia Dias e foi lançado como livro digital na Amazon. Infelizmente, foi apenas durante 45 dias a venda, portanto o livro não está mais disponível. (No fim do texto tem mais informações para quem quiser adquiri-lo.)

Conheci a Vânia em um evento para blogs no começo de 2017 e desde então mantivemos contato pelas redes sociais. Quando ela anunciou que lançou um livro, fiquei surpresa pela novidade e decidi comprá-lo para apoiá-la. Como está em formato digital, decidi lê-lo antes de pegar novos livros físicos para ler.

Por ser uma leitura leve, li rapidamente e venho mostrar-lhes a resenha de Meu doce remetente. (Observação: isso tudo foi escrito em novembro de 2017, e, acabei lendo novamente agora – junho 2018 – para terminar a resenha, rs).

Sinopse:

Laura é uma jovem recém-formada e cheia de sonhos que vê sua vida sofrer uma reviravolta após uma viagem de turismo a Nova York.

Uma carta a um estranho é respondida. Um homem misterioso que desperta a curiosidade e o interesse de Laura. O sonho de uma carreira ameaçada pela incerteza e instabilidade do mundo corporativo. Um casamento iminente. Um ex-amor que ressurge. Uma oferta tentadora. Uma surpresa inacreditável. Uma aventura digna da melhor comédia romântica já vista.

Venha sonhar, sofrer, rir e se apaixonar com Laura em sua história emocionante.

Resenha:

meu doce remetente

Laura tem 27 anos, acaba de perder o emprego, está solteira e decide passar uns dias em Nova York. Durante a viagem, ela decide deixar uma carta escrita a mão sem destinatário em um restaurante e volta para o Brasil “mais leve”.

Após um tempo da viagem, ela recebe uma carta de um homem que encontrou a sua carta sem destinatário. Nessa carta recebida, ele também envia o seu e-mail. Eles começam um bate-papo via internet e também via correios. Dessa forma, começam a sua conexão.

O que ela não esperava é que Ben, o cara anônimo, fosse uma celebridade e muitos segredos seriam revelados. Ao mesmo tempo, Laura fica dividida entre um ex-namorado que decidi surgir em sua vida novamente.

Paralelamente, a história desenrola mostrando o dia a dia de Laura e sua família, o casamento de seu irmão que se aproxima, e, também a sua busca por um novo trabalho.

Laura é uma mulher normal, com suas ambições, desejos e aventuras do dia a dia. Tudo bem diferente do que é a vida de Ben, um produtor e ator famoso de Hollywood.

Logo no começo já desconfiei quem era o tal famoso por algumas poucas dicas que foram jogadas na história. Gostei bastante do relacionamento da família da Laura. E fiquei pensando de como, às vezes, a gente precisa de histórias com finais felizes para nos dar esperança de seguir em frente.

— Onde eu fui me meter? — Fechei os olhos enquanto apertava a ponta do nariz, uma onde de ansiedade me invadindo.

— Em um conto de fadas moderno, Laura.

Sabe aquelas paixões dignas de comédias românticas? É assim que Meu doce remetente se desenvolve. Quando você acha que não poderia acontecer, acontece, e quando você perde as esperanças, algo novo de bom faz o enredo seguir em frente.

Com uma escrita leve, a autora consegue nos distrair e instigar para sabermos quais serão os próximos passos. A história flui bem, apesar do tamanho dos capítulos, que poderiam ser mais curtos e divididos.

Era uma carta curta e singela, mas era exatamente do que eu precisava. Engraçado, parecia que nos conhecíamos há tanto tempo, não sei explicar, mas sabia que o Ben me queria tão bem quanto eu a ele, era quase como estar vivendo um conto de fadas.

Por adorar cartas, esse foi um dos pontos que me prendeu na leitura, pois gosto dessa comunicação assíncrona. O livro me conquistou por conta desse sentimento de nostalgia em escrever cartas.

Como disse no começo da resenha, eu li o livro duas vezes e fiquei enrolando para fazer a resenha. Então, como está em e-book, foi mais fácil reler e trazer minhas impressões sobre o livro. Porém, o que mudou entre as duas leituras?

Quando li o livro meses atrás, achei bem piegas e nada como reler em outro momento para ter outros sentimentos. É uma história com final feliz e até bem fantasia, vamos assim dizer. Nessa segunda leitura, gostei bem mais e não achei tão piegas, achei mais romântico.

No entanto, o que diferencia dos outros tipos de enredos a meu ver, é a idade dos personagens. Em geral, quando falamos de pessoas famosas, tietar alguém, sempre caímos nos adolescentes. E Laura, já é uma mulher madura, que passou por várias experiências e tem uma história para contar.

Como já li vários romances nesses últimos anos, percebi que jogam a idade muito “para baixo”, e colocar personagens novos com tantas experiências e viagens de vida, só me faz pensar que todo mundo é super rico na ficção.

Ter essa proximidade, faz a gente gostar da história e da personagem. Mesmo sabendo que Ben é rico pra caralh* hahaha.

Única coisa que não gostei de Meu doce remetente: queria que tivesse mais um pouco de páginas. Acho que a história corre muito no final e termina de um jeito bruto. Ficamos com aquela curiosidade e sensação de querer mais, mesmo com um epílogo no final.

 

Como adquirir Meu doce remetente:

Como dito, o livro ficou disponível na Amazon durante 45 dias apenas, infelizmente. Para adquiri-lo, entre em contato com a Vânia através do e-mail: ziperchique@gmail.com

E aproveite para conhecer seu blog também: www.ziperchique.com.br


Elefante pergunta: Por onde anda “seu” doce remetente?

Você também poderá gostar de:

Fundadora do Elefante Voador, social media, editora-chefe e redatora do blog. Mora em São Paulo, tem 30 anos e coleciona meias e meias-calças. Concilia as tarefas do Elefante com o trabalho formal, maternidade e sua rotina caseira.

Comente via FB ♥