Elefante Conferiu

A Profecia das Sombras, Rick Riordan | Resenha

A Profecia das Sombras, segundo volume da série As Provações de Apolo de Rick Riordan, traz os eventos após O Oráculo Oculto. Novas aventuras esperam por nosso querido Apolo, ou Lester Papadopoulos, como preferirem. Conheça mais sobre a obra:

No segundo volume da série As provações de Apolo, o ex-deus olimpiano terá que libertar um oráculo assustador das mãos de um velho conhecido Não basta ter perdido os poderes divinos e ter sido enviado para a terra na forma de um adolescente espinhento, rechonchudo e desajeitado. Não basta ter sido humilhado e ter virado servo de uma semideusa maltrapilha e desbocada. Nããão. Para voltar ao Olimpo, Apolo terá que passar por algumas provações. A primeira já foi: livrar o oráculo do Bosque de Dodona das garras de Nero, um dos membros do triunvirato do mal que planeja destruir todos os oráculos existentes para controlar o futuro. Em sua mais nova missão, o ex-deus do Sol, da música, da poesia e da paquera precisa localizar e libertar o próximo oráculo da lista: uma caverna assustadora que pode ajudar Apolo a recuperar sua divindade — isso se não matá-lo ou deixá-lo completamente louco. Para piorar ainda mais a história, entra em cena um imperador romano fascinado por espetáculos cruéis e sanguinários, um vilão que até Nero teme e que Apolo conhece muito bem. Bem demais. Nessa nova aventura eletrizante, hilária e recheada de péssimos haicais, o ex-imortal contará com a ajuda de Leo Valdez e de alguns aliados inesperados — alguns velhos conhecidos, outros nem tanto, mas todos com a mesma certeza: é impossível não amar Apolo.

Capa comum: 336 páginas
Editora: Intrínseca;
Edição: 1ª (19 de abril de 2017)
Idioma: Português
ISBN-10: 855100171X
ISBN-13: 978-8551001714
Dimensões do produto: 22,8 x 15 x 2 cm
Peso de envio: 440 g

Leia também: Resenha de O Oráculo Oculto

Resenha

Demorei mais de um mês para ler o livro. Não me orgulho disso. O começo demorou muuuito para prender minha atenção, mesmo com a narrativa divertida e descontraída de Rick Riordan. (Além disso, tive que fazer algumas consultas ao primeiro volume de coisas que eu tinha esquecido completamente).

— Oi, Apolo. (…) Eu soube que você é humano agora. isso vai ser divertido.

Em A Profecia das Sombras, Apolo, Leo Valdez e Calipso saem do Acampamento Meio-Sangue a bordo do Dragão Festus à procura do Oráculo de Trofônio. Eles acabam chegando em Indianápolis, onde o ex-Deus tem certeza de que encontrarão o que procuram.

É claro que ninguém esperava que esta aventura fosse fácil, mas um pouquinho de esperança não faz mal nenhum para um Deus preso no corpo de um garoto de 16 anos. Acontece que o Oráculo está em poder de vilões poderoso que querem destruir todos os oráculos para conseguirem controlar o futuro. Cabe ao nosso carismático Deus da Profecia impedir que isto aconteça.

Além de Leo e Calipso, Apolo contará com a ajuda de novos personagens para enfrentar inimigos mortais e concluir sua missão. (Essas novas alianças de Apolo são uma das melhores partes do livro. vai por mim!)

Não tive sorte com o haicai.
Eu ficava empacado no primeiro verso, Eu não quero morrer, e não conseguia pensar em mais nada. Odeio encher linguiça quando a ideia principal já é tão clara.

No geral, eu gostei do livro. Da metade para a frente, a história ganha um ritmo mais acelerado e as coisas vão ficando mais interessantes. Acredito que o personagem do Apolo/Lester Papadopoulos evoluiu muito neste volume. Ele ainda é aquele Deus, que espera que as pessoas se curvem à sua presença mas está bem mais profundo e reflexivo a medida em que vai tendo acesso às suas lembranças.

Acho a narrativa de Rick Riordan divertidíssima e isto só se confirma em A Profecia das Sombras, onde ele traz inúmeras referências à cultura pop e nos apresenta a mitologia grega de uma maneira única e surpreendente. Ainda sim, eu gosto mais do primeiro livro da série, O Oráculo Oculto. ⠀

Estávamos a três metros quando acionamos a Primeira Lei de Percy Jackson. Nosso azar pulou da água na forma de um arco cintilante com pele de serpente.

Na minha opinião, vale muito a pena a leitura (e insista mesmo que achar o comecinho devagar). A narrativa é cheia de reviravoltas e surpresas dignas de tirar o fôlego.  E claro, aquele humor sarcástico que a gente tanto adora!

 (…) Prometi silenciosamente que, se u dia recuperasse minha divindade, jamais mandaria um pobre mortal em uma missão. A não ser que fosse realmente importante. E a não ser que eu tivesse certeza de que o mortal estaria à altura do desafio. E a não ser que eu estivesse meio sem tempo… ou só com preguiça mesmo. (…)

Gostei muito do desfecho da história e vale ressaltar que o tio Rick me fez temer real pela vida de Apolo e seus amigos em mais de uma ocasião.

Ps. Rick Riordan mandou super bem no quesito Representatividade neste livro. 


Elefante pergunta: Prontos para O Labirinto de Fogo?

Você também poderá gostar de:

Cintia, 31 anos, é uma das criadoras do Elefante Voador, responsável pela seleção e redação de conteúdo do site, além da cobertura fotográfica dos eventos. Mora em Poços de Caldas/MG), formada em Design Gráfico e atua como diagramadora de livros. Aspirante a escritora, sonhadora, apaixonada por livros, gatos, música pop, pizza e chocolate.

Twitter: @superci / Instagram: @cisuperci

Comente via FB ♥