Elefante Conferiu

A Barraca do Beijo, Beth Reekles | Resenha

Acho que boa parte dos nossos leitores já assistiu A Barraca do Beijo na Netflix! Mas vocês sabiam que o filme é baseado na obra literária de Beth Reekles? Aqui no Brasil, o livro foi publicado pela Astral Cultural. Conheça um pouco mais sobre a obra:

ELLE EVANS é o que toda garota quer ser: bonita e popular. Mas ela nunca foi beijada. NOAH FLYNN é lindo e um tanto quando bad boy – tá, o maior bad boy da escola – e o rei dos joguinhos de sedução. A verdade é que Elle sempre teve uma queda pelo jeito descolado de Noah, que, por coincidência, é o irmão mais velho de seu melhor amigo, Lee. Essa paixão cresce ainda mais quando Elle e Lee decidem organizar uma barraca do beijo no festival da Primavera da escola e Noah acaba aparecendo por lá. Mas o romance desses dois está bem longe de ser um conto de fadas. Será que Elle vai acabar com o coração partido ou conseguirá conquistar de vez o bad boy Noah?

Capa comum: 336 páginas
Editora: Astral Cultural;
Edição: 1ª (19 de junho de 2018)
Idioma: Português
ISBN-10: 8582467478
ISBN-13: 978-8582467473
Dimensões do produto: 23 x 15,6 x 2,4 cm
Peso de envio:  481 g


Resenha 

Para quem não conhece a história de A Barraca do Beijo, vamos fazer um pequeno resumo: Elle e Lee são amigos desde sempre. Nasceram no mesmo dia e as famílias são muito próximas, o que fez com que os dois crescessem juntos.

[…] Poderíamos até mesmo ser gêmeos; por uma coincidência bizarra do destino nascemos no mesmo dia. Ele era meu melhor amigo. Sempre foi e sempre será.Mesmo me irritando demais às vezes.

Elle, assim como todas as garotas do segundo ano, tem uma quedinha por Noah Flynn, o irmão mais velho de Lee e veterano no colégio. O garoto faz o tipo bonitão/badboy que causa confusão por onde passa, mas que as pessoas são incapazes de odiar.

No festival de primavera da escola, Elle e Lee decidem montar uma Barraca do Beijo como atração. É claro, que a Barraca faz o maior sucesso e tem uma repercussão enorme. O que Elle não imaginava, é que a Barraca seria o primeiro passo (ou primeiro beijo) para um romance com Noah.

Ele está só brincando… não é?
Está só me provocando. Deve ser algum tipo de pegadinha. (…)
Ah, meu Deus! Ele não está brincando. Preciso beijá-lo.

Após este evento, os dois começam a se encontrar às escondidas pois Elle tem medo de que essa “aventura” possa estragar sua amizade com Lee. Essa mentira pode resultar em alguma coisa boa? É aí que a gente para de contar a história e deixa você decidir se vai ler o livro e/ou assistir ao filme para saber o final!

Minhas mentiras pareciam andar de mãos dadas com meu relacionamento com Noah, e eu detestava isso.

No geral, acho que criei muita expectativa em cima do livro pois eu já tinha assistindo o filme e tinha achado bem bonitinho! Acontece que a narrativa não me agradou, creio que funcione melhor com um público mais jovem, afinal Elle é exatamente como uma jovem de 16 anos de idade deveria ser: romântica, sonhadora, insegura (provavelmente eu teria adorado se tivesse lido há uns 10 anos atrás, rs). Eu daria nota 3 de 5 para o livro.

— Estou começando a pensar que meu irmão gosta de você, Shelly.
Bufei. — É isso ou então ele estava procurando briga.
— Ah, provavelmente é a segunda opção, então.

E me desculpem, não há quem me faça gostar do Noah (postei e saí correndo). Acho ele chato, controlador e possessivo. E por mais que ele tente fazer umas coisas românticas e fofas, ao meu ver fica claro que ele faz isso somente porque sabe que é o tipo de coisa que Elle iria gostar, e não porque ele realmente pensa com esse romantismo todo.  E ele ser o cara mais gostoso da face da Terra justifica isso? Na minha opinião, não.

— Não acredito que você me trouxe aqui para olhar o pôr do sol. Isso é tão… tão romântico…
— Eu lhe disse, Elle. Vou fazer as coisas do jeito certo dessa vez. E eu sabia que você ia gostar. Você é esse tipo de garota. (…)

Agora, um ponto lindíssimo de se ver é a amizade entre Lee e Elle, inclusive quando ela é colocada a prova. Uma amizade verdadeira, sem interesses e que fica ainda mais evidente do que no filme. De uma maneira que chega a ser inspiradora! ♥ E por falar em Lee, esse sim é um crush a ser levado a sério, haha!

Dizem que, quando você ama alguém então deve liberar essa pessoa. Bem, não havia a menor possibilidade de eu liberar meu melhor amigo sem resistir.

Mas uma coisa que achei bem fofa, tanto no filme como no livro, é aquela euforia do primeiro beijo, do primeiro namorado… Isso é tão próximo da nossa realidade que faz com que a gente fique envolvido logo de cara. Deu vontade de me apaixonar de novo (pronto… já passou, rsrs)!

Eu acho que A Barraca do Beijo é uma ótima opção pra ser lido em uma tarde. O texto é leve, divertido e vai agradar quem curte romance mais clichê. E é uma boa para quem assistiu o filme e quer ter uma nova experiência com os personagens.

 ─ Imagine só ─ disse Lee naquele momento. ─ Tudo isso por causa da barraca do beijo.


Elefante pergunta: Você prefere o livro ou o filme de “A Barraca do Beijo”?

Você também poderá gostar de:

Cintia, 31 anos, é uma das criadoras do Elefante Voador, responsável pela seleção e redação de conteúdo do site, além da cobertura fotográfica dos eventos. Mora em Poços de Caldas/MG), formada em Design Gráfico e atua como diagramadora de livros. Aspirante a escritora, sonhadora, apaixonada por livros, gatos, música pop, pizza e chocolate.

Twitter: @superci / Instagram: @cisuperci

Comente via FB ♥