Elefante Conferiu

A Coroa da Vingança, Colleen Houck | Resenha

Chegamos ao último volume da saga Deuses do Egito, da Colleen Houck e eu estou num verdadeiro estado de ressaca literária. A Coroa da Vingança foi publicado aqui no Brasil pela Editora Arqueiro em janeiro deste ano e traz o desfecho da história de Lilliana Young que teve seu destino ligado aos poderosos deuses egípcios.

Conheça um pouco mais sobre a obra:

Meses após sua pacata vida como herdeira milionária sofrer uma reviravolta e ela embarcar numa vertiginosa jornada pelo Egito, Lilliana Young está praticamente de volta à estaca zero.
Suas lembranças das aventuras egípcias e, especialmente, de Amon, o príncipe do sol, foram apagadas, e só resta a Lily atribuir os vestígios de estranhos acontecimentos a um sonho exótico. A não ser por um detalhe: duas estranhas vozes em sua mente, que pertencem a uma leoa e uma fada, a convencem de que ela não é mais a mesma e que seu corpo está se preparando para se transformar em outro ser.
Enquanto tenta dar sentido a tudo isso, Lily descobre que as forças do mal almejam destruir muito mais que sua sanidade mental – o que está em jogo é o futuro da humanidade.
Seth, o obscuro deus do caos, está prestes a se libertar da prisão onde se encontra confinado há milhares de anos, decidido a destruir o mundo e todos os deuses. Para enfrentá-lo de uma vez por todas, Lily se une a Amon e seus dois irmãos nesta terceira e última aventura da série Deuses do Egito.

Capa comum: 416 páginas
Editora: Arqueiro;
Edição: 1ª (11 de janeiro de 2018)
Idioma: Português
ISBN-10: 8580417872
ISBN-13: 978-8580417876
Dimensões do produto: 23 x 15,8 x 2,4 cm
Peso de envio: 640 g


Resenha

Em A Coroa da Vingança, nos deparamos com a Lily sem nenhuma lembrança dos eventos anteriores. Ela não se lembra de ter conhecido Amon ou de ter vivido qualquer perigo ao lado dos Filhos do Egito. Para ela, nada passou de um sonho confuso e que não merece muita atenção.

Seria um sonho? Se fosse, era o pesadelo mais vivido que eu já tivera.

Tudo muda quando o sr Hassan vai até ela e diz que o destino do mundo está em suas mãos. Ao lado de Ahmose, e com as vozes de uma fada e uma leoa em sua cabeça, ela precisa se jogar de cabeça em uma nova aventura para encontrar Asten e Amon e juntos enfrentar Seth, o deus do caos, de uma vez por todas.

Era uma boa história e as vozes na minha cabeça acreditavam que era absolutamente verdadeira, mas alguma coisa parecia estranha. Qual era a minha motivação? Por que eu iria embora e faria todas essas coisas? Como eu poderia ser uma deusa? Ou esfinge, ou sei lá o quê? Eu não era uma guerreira.

E o que eu achei do livro?

Definitivamente, A Coroa da Vingança não é o meu preferido da série. Achei a escolha da autora em trazer Lily sem lembranças bem corajosa. A primeira parte do livro demora muuuito para se desenrolar e por causa da “falta de memória” da nossa protagonista, ainda surge um interesse amoroso que não me convenceu, ficou chato e muito bagunçado.

A gente queria era mais de Lily e Amon. Aquela química perfeita dos dois… Aquele amor que transpassa o tempo, a distância e a morte. Infelizmente, para que tava esperando mais momentos do casal, pode se frustrar bastante pois isso só acontece bem no finalzinho.

Como era a voz dele? Ele era uma pessoa séria? Melancólica? Tínhamos alguma coisa em comum? Ele possuía senso de humor? Eu não conseguia imaginar nós dois juntos em nenhuma situação. (…)

Enfim, comecei a leitura com muita expectativa e elas passaram longe de serem atingidas. Mas vamos falar das coisas boas também!

Achei que neste volume, a relação entre Lily, TiaAshleigh se estreita e com toda certeza é a melhor parte dessa história. Elas passam de 3 estranhas dividindo o mesmo corpo, para amigas, família… até que se entendem como parte uma da outra.

Sem contar as batalhas com monstros mitológicos (aranhas gigantes, crocodilos, cobras gêmeas…) e os Deuses do Egito entrando em ação! Nisso Colleen Houck é rainha.

Ela nos apresenta tudo com tantos detalhes e com tanta convicção, que seria fácil acreditar que tudo isso saiu dos registros mais antigos da humanidade. Assim como na Saga do Tigre, ela amarra todas as pontas soltas e tudo se encaixa perfeitamente no desfecho da história.

(…) Mas você não está destinada a ser uma esfinge. Você é mais do que isso. Para assumir seu poder, você deve abraçar o ser que irá se tornar. Deve assumir o nome de Wasret, assim como tudo que esse nome implica.

Vale a pena insistir no livro, apesar do começo ser um pouco desinteressante. Tudo vai ficar bem, dou minha palavra!

No geral, A Coroa da Vingança prendeu minha atenção mas com muita insistência. Perdi totalmente a conexão com os personagens e achei algumas coisas muito forçadas. Claro que algumas passagens foram legais e isso equilibra a história. Mas achei este livro muito diferente dos dois primeiros, que me fizeram apaixonar pela saga.

Apesar da alegria com que a luminosidade preenchia o ar, havia um frio dentro de mim que nem mesmo o sol, nem mesmo Amon, conseguiam afastar.

Principalmente por se tratar do volume final, acho que ficamos esperando muito mais… Até porque não haverá outro livro seguinte para consertar as falhas deste. Só nos resta esperar pela nova saga da autora para termos uma nova história para nos apegar.


Elefante pergunta: Qual desfecho de saga literária te deixou decepcionado(a)? 

Você também poderá gostar de:

Cintia, 31 anos, é uma das criadoras do Elefante Voador, responsável pela seleção e redação de conteúdo do site, além da cobertura fotográfica dos eventos. Mora em Poços de Caldas/MG), formada em Design Gráfico e atua como diagramadora de livros. Aspirante a escritora, sonhadora, apaixonada por livros, gatos, música pop, pizza e chocolate.

Twitter: @superci / Instagram: @cisuperci

Comente via FB ♥